La enseñanza superior en Angola

Apreciación del profesorado, perspectivas y desafíos contemporáneos

Autores/as

  • Francisco Custódio Cazenga Jefe de Departamento de Salud. Escola Superior de Guerra de Angola, ESG/A, Angola Autor/a

DOI:

https://doi.org/10.59654/br3yq586

Palabras clave:

Educación superior, desarrollo del profesorado.

Resumen

Este artículo pretende reflexionar sobre la educación superior en Angola, la valoración del profesorado, las perspectivas y los retos contemporáneos. El presente texto consiste en una revisión bibliográfica de tipo Narrativo, y se han utilizado bases de datos científicas, para dar cobertura a los autores propuestos. El objetivo era aportar contenidos relevantes al tema centrándose en varias teorías. Se realizó una investigación analítica y bibliográfica de enfoque cualitativo sobre el tema a través de libros, artículos y en clases de video de bases de datos como Pepsic, Scielo y Google Académico. Posteriormente, se incluyeron los materiales más relevantes, excluyendo los contenidos que no se referían al tema. Se concluye que La Educación Superior en Angola, Apreciación del Profesorado, Perspectivas y Desafíos Contemporáneos, constituye, por tanto, un precioso auxiliar, tanto para los futuros profesores como para todos aquellos que quieran actualizar sus conocimientos y profundizar en su formación. Se espera que, a partir de esta investigación, los profesores de instituciones académicas superiores y áreas afines tengan una mejor comprensión del tema y una visión técnica y científica más completa. Serán necesarios futuros estudios para dar continuidad a este estudio.

Descargas

Los datos de descarga aún no están disponibles.

Biografía del autor/a

  • Francisco Custódio Cazenga, Jefe de Departamento de Salud. Escola Superior de Guerra de Angola, ESG/A, Angola

    Pós-Doutorando em Saúde Coletiva. Doutor em Ciências da Educação pela ACU - Absoulute Christian University. Mestre em Ciências Biomédicas (Segurança do Trabalho) pela UNIXAVIER. Pós-graduado (lato sensu) em Administração Hospitalar pela Universidade Nova Lisboa; Graduado em Medicina pela Universidade Jean Piaget de Angola. Email: custodiofrancisco29.8@hotmail.com

Referencias

Almeida, M. I. De. (2012). Formação do professor do ensino superior: desafios e políticas institucionais. Ed. Cortez.

Almeida, M. I. De e Pimenta, S. G. (2011). A construção da pedagogia universitária no âmbito da Universidade de São Paulo. In.: Pimenta, S. G. e Almeida, M. I. De. (Org.). Pedagogia universitária: caminhos para a formação de professores. p. 19-43. Cortez.

Anastasiou, C. (2011). Léa das Graças Camargos. Processos formativos de docentes: aspectos teóricos e práticos. In.: Pimieta; S. G. e Almeida, M. I. De. (Org.). Pedagogia universitária: caminhos para a formação de professores. p. 44-74. Cortez.

Angola. (2016). Decreto-Lei nº 17/2016 de 7 de outubro de 2016. Aprova a Lei de Bases do Sistema de Educação e Ensino em Angola. Diário da República I – Série, 170, 2016.

Angola. (2018). Decreto-Lei nº 191/2018 de 8 de agosto de 2018. Aprova o Estatuto da Carreira Docente do Ensino Superior em Angola. Diário da República I – Série, 118, 2018.

Angola. (2009). Decreto-Lei nº 7/2009, de 12 de maio 2009. Estabelece a reorganização da rede das Instituições de Ensino Superior Públicas, a criação de novas Instituições do Ensino Superiore o redimensionamento da Universidade Agostinho Neto (UAN). Diário da República I – Série, 87, 2009.

Borges, D. S. (2018). Docência iniciante na universidade: interações auto-ecoorganizadoras da formação. 162f. Tese (Doutorado), Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências.

Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Rio Grande, 2018. https://argo.furg.br/?BDTD11825.

Buza, J. L. C. e Buza, A. G. (2015). Gestão do ensino superior em angola os desafios endógenos e exógenos. http://www.aforges.org/wp- -content/.

Buza, J. L. C. e Gonçalves, T. V. O. (2007). Motivação ao magistério e identidade de professores que ensinam ciências em um país em reconstrução. http://abrapecnet.org.br/atas_enpec/vienpec/CR2/p979.pdf

Cardoso, E. M. S. e Flores, M. A. (2009). A formação incial de professores em Angola: problemas e dasafios. In: Congresso Internacional Galego-Português De Psicopedagogia. 10. 2019. Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Universidade de Minho. https://www.educacion.udc.es/grupos/gipdae/documentos/congreso/xcongreso/pdfs/t3/t3c44.pdf

Cardoso, J. R. (2013). O professor do futuro: valorizar os professores, melhorar a educação. Clube do Livro.

Cassule, A. Da C. e Simões, A. J. R. (2018). Representações sociais sobre a constrtução da identidade profissional docente: um caso do ISCED-Huambo. Revista Electrónica Formación y Calidad Educativa (REFCalE), Vicerrectorado Académico de la Universidad Laica Eloy Alfaro de Manabí, Ecuador, 6(3), 203-214, set./dez.

Cunha, M. I. Da. (2010). A docência como ação complexa. In: Cunha, M. I. Da. (Org.). Trajetórias e lugares de Formação da docência universitária: da perspectiva individual ao espaço institucional. p.19-34. Junqueria&Marin,

Cunha, M. I. Da. (2009). O lugar da formação do professor universitário: o espaço da pósgraduação em educação em questão. Rev. Diálogo Educ, Curitiba, 9(26), 81-90, 2009.

Cutatela, A. Ch. (2018). A importância do trabalho colaborativo na formação contínua de docentes do Departamento de Ciências da Educação da Escola Superior Pedagógica do Bié. Revista Órbita Pedagógica, Isced-Huambo, 5(3), 12-23, set./dez.

Day, C. (1999). Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto Editora.

Da Silva, M. D. (2016). Profissão docente: um estudo sobre a desvalorização/valorização da Carreira. In: Jornada Baiana de Pedagogia, 2. Anais […]. Ilhéus, 2016. http://www.Users/documents/profissao_docente_um_estudo_sobre_a.pdf.

Detomini, G. M. e Mariotini, S. D. (2017). Fracasso no exercício do ofício docente: consequências da desvalorização social da profissão docente. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, Bebedouro (São Paulo), 4(1), 368-383, mar./jun.

Estrela, M. T. (2010). Profissão docente: dimensões afetivas e éticas. Areal Editores. Formosinho, J. (2009). A academização da da formação de professores. In: Formasinho, J. Formação de professores: aprendizagem profissional e acção docente. Porto: Porto Editora/ LDA.

Galindo, W. C. M. (2004). A construção da Identidade profissional docente. Revista Psicologia Ciência e Profissão, Araraquara, 24(2), 14-23, abr./ago.

Hargreaves, Any. Ser Professor na era da insegurança. In ÁUREA Adão e ÉDIO Martins (orgs). Os professores: identidades (re) reconstruidas. Edições Universitárias Lusófonas.

Ima-Panzo, B. J. (2018). A extensão universitária em Angola. Tendências, acções e projeções. Mayamba.

Iza, D. F. V., Benites, L. C., Sanches, N. L., Cyrino, M., Ananias, E. V., Arnosti, R. P., Souza De Neto, S. (Org.). (2014). Identidade docente: as várias faces da constituição do ser professor. Revista Eletrônica de Educação, 8(2), 273-292, fev./abr. http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/viewFile/978/339

Kandingi, P. de A. A. C. A. (2016). Expansão do ensino superior em Angola. (Um estudo sobre o Impacto das instituições de ensino superior privado). Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Nova Lisboa.

Kourganoff, W. (1990). A face oculta da universidade. Trad. Cláudia Schilling e Fátima Murad. Editora da Universidade Estadual Paulista. In Marcelo, G. C. (1990). La función docente: nuevas demandas en tiempos de cambio.

Lawn, M. (2000). Os professores e a fabricação de identidades. In: António Nóvoa e Jurgen Schriewer (Org.). A difusão mundial da escola. Educa.

Machado, J. e Formosinho, J. (2009). Professores, escola e formação. Políticas e práticas de formação contínua. In: Formosinho,J. A formação de professores: aprendizagem profissional e acção docente. Porto: Porto Editora,

Manuel, T. (2018). A regulação do ensino superior como interface da regra do funcionalismo público do Estatuto da Carreira Docente em Angola. http://www.aforges.org/wp-content/uploads/2016/11/15-Tuca-Manuel.

Marcelo, G. C. (Org.). (2001). La función docente. Editorial Síntesis.

MED. (2010). Reforma Educativa. Ministério da Educação de Angola. Angola. Ministério do Ensino Superior Ciência Tecnologia e Inovação. (2018). Acta do 2º Conselho Nacionaldo Ensino Superior, Ciência Tecnologia e Inovação. Conselho Nacional.

Mesquita, E. Da C. (2010). Formação inicial, profissão docente e competências para a docência: a visão dos futuros professores. Revista de Educação, EDUSER, Instituto Politécnico de Bragança – Escola Superior de Educação, 2(1), 3-19, Bragança, Portugal. http://www.eduser.ipb.pt.

Moreira, J. (2010). Portefólio do professor: o prortefólio reflexivo no desenvolvimento profissional. Porto Editora.

Morin, E. (2008). Método I: a natureza da natureza. Trad. Juremir Machado da Silva. 2ª ed. Sulina.

Neves de J, S. l. (2004). Motivação na Profissão docente: Perspetivas para o bem-estar docente. In ÁUREA Adão; ÉDIO Martinas (Org.). Professores: Identidades (re)construidas. Edições Universitárias Lusófonas.

Nóvoa, A. (1994). Vida de professores. Porto: Porto Editora, 1994.

Nóvoa, A. (2017). Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa. São Paulo SP Brasil, v, 47 n.166, p. 1106-1133, out./dez.

Nóvoa, A. (1999). Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Universidad de Lisboa.

Nóvoa, A. (2009). Professores: Imagens do futuro presente. Educa.

Pimenta, S. G e Anastasiou, C. (2010). Léa das Graças Camargo. Docência no Ensino Superior. 4 ed. Cortez.

PND. (2018). PPlano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022. https://prodesi.ao/media/publicacoes/plano-de-desenvolvimento-nacional-2018-2022

PNFQ. (2012). Plano Nacional de Formação de Quadros (2012-2020).

Raul, R. M. (2015). A construção da identidade profissional dos professores: o caso da escola nº 2055 do município da Maianga. Dissertação. (Mestrado em Administração e Gestão Educacional) – Programa de Pós-Graduação, Universidade de Évora.

Roldão, M. Do Céu. (2005). Profissionalidade docente em análise: especificidades dos ensinos superior e não superior. Nuances: Estudos Sobre Educação, Ano XI, 12(13), 105-126. https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/1692/1601

Roldão, M. Dos C. (2007). Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, Minho, 12(34), 94-108, jan./abr.

Sacristán, J. G. (1999). Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: Nóvoa, Antonio (Org.). Profissão professor. 2 ed. p. 63-92. Porto Editora.

Silva, R. e Silva, A. C. Da. (2015). Um olhar sobre a formação de professores em Angola. In: II Colóquio Cabo-verdiano de Educação – CEDU 2015. Políticas e Práxis da Educação nas Perspetivas e em Contextos Pós-coloniais. Edições Universidade de Cabo Verde.

Simões, C., Sambo, M. Do R., Ferreira, A. e Fresta, M. (Org.). (2016). Ensino superior em Angola: desafios e oportunidades ao nível institucional. Revista FORGES – Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa. 3(1), 79-102.

Tardif, M. (2002). Saberes docentes e formação profissional. 4ª Ed. Vozes.

Teixeira, I., Batista, P. e Graça, A. (2017). A reconstrução da identidade profissional em comunidades de prática. In: Correia, L. G. e Poças, R. L. S. (Org.). O tempo dos professores. Universidade do Porto.

Teodoro, A. (2004). Um estudo europeu sobre os professores. Atratividade, perfil e conteúdo ocupacional da profissão docente. In: Áurea, A., Édio, M. Os professores: identidades (re) construídas. Edições Universitárias Lusófonas.

Vargas, J. Ch. (2008). Refletindo sobre a obra “Profissão Professor”: contribuições de Antônio Nóvoa. Revista Partes: P@rtes (São Paulo- Brasil). https://www.partes.com.br/2008/10/01/refletindo-sobre-a-obra-profissao-professor-contribuicoes-de-antonio-novoa/

Zabalza, M. (2004). O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Trad. Ernani Rosa. Artmed.

Descargas

AI. 7

Publicado

2021-12-21

Número

Sección

Artículos de Investigación

Cómo citar

La enseñanza superior en Angola: Apreciación del profesorado, perspectivas y desafíos contemporáneos. (2021). Revista Digital De Investigación Y Postgrado, 3(5), 159-179. https://doi.org/10.59654/br3yq586

Artículos similares

1-10 de 101

También puede Iniciar una búsqueda de similitud avanzada para este artículo.